O Homem que inventou o Buraco


“Dedão” era um sujeito misterioso. Um dia apareceu naquela região e construiu um pequeno casebre, com ripas de caixotes, em um dos maiores terrenos baldios da localidade; fazendo dali a sua morada.

Contam os mais velhos que teria cavado uma caverna logo abaixo, só saindo nos dias mais quentes do verão. Em pouco tempo, virou motivo de comentários e assunto preferido no ainda pequeno povoado.

­De onde vinha? Quem seria afinal aquela assustadora figura? Era o que todos queriam saber.

Sabe-se lá o porquê, jamais cortava as unhas dos pés, e isso lhe gerou aquele conhecido apelido.
Era o terror das crianças. Qualquer que fosse suas travessuras; os pais logo acudiam:

- “Vou chamar o “Dedão!”

Funcionava melhor do que surra de vara verde, ou algum castigo mais severo, comum naqueles tempos remotos.

Alguns diziam que já fora rico, outros que teria sido abandonado pela família, e por desgosto, começou a mendigar. Mas a maioria não tinha dúvidas de que se tratava de um louco. Ainda mais quando ele apareceu carregando em uma das mãos um enorme buraco, que ele mesmo havia construído.

Pronto, foi a gota d’água! 

Todos agora afirmavam que o velho “Dedão” havia inventado o buraco.

Um intrigante artefato de madeira, com um buraco ao meio, uma tampa com alça e outra para carregá-lo. Mas carregá-lo pra que?

Havia quem dissesse que era ali que ele teria colocado todo o seu passado, para que nunca tivesse que lembrar. Diziam que todo e qualquer problema colocava no buraco e, de alguma forma, se via livre deles. O fato é que, mesmo assustador, jamais causou problema a quem quer que fosse, enquanto ali ficou.

“Dedão” morreu alguns anos depois, e por ironia do destino foi enterrado em outro buraco, no cemitério mais próximo.

Fico aqui pensando se “Dedão” era de fato “louco” como todos afirmavam, ou tratava-se de um pacificador. Talvez “loucos” sejamos todos nós por só nos darmos conta do “buraco”, quando estamos próximos de nos juntar a ele.

Hoje, no então terreno baldio, onde havia a caverna de “Dedão”; foi construído o imponente prédio de cinco andares da Prefeitura, da agora cidade de São João de Meriti.

Caso ainda fosse vivo; “Dedão”, em toda a sua sabedoria; com certeza diria:

“O lugar é o mesmo; só aumentou o tamanho do buraco”.

"Existe diferença entre a loucura de um sábio e a sabedoria de um louco?"



Carlos Lucchesi






Voltar