Roubando a Cena


Tinha tudo para dar errado.
Saiu às pressas,
Chegou atrasada,
E aquela noite parecia como outra qualquer.

Mas quando ela apareceu na porta,
Daquele imenso salão de festa,
Todos os olhares se voltaram em sua direção.

Quem seria aquela presença marcante?
Como explicar a suavidade dos seus passos
E aquele vestido deslumbrante?

Pura magia!
E quando ela por mim passou,
Eu, que imaginava ser um inigualável sedutor,
Quase me joguei aos seus pés.

Antes o fizera,
Pois mesmo sob as pegadas dela,
Podia-se flutuar,
Como nas nuvens.

O fato é que tudo parou,
Ninguém ousou interromper a sua inebriante chegada,
Ou sequer murmurou.

Deusa, Musa, Diva,
Quem seria afinal aquela imagem,
De beleza jamais vista?

¨Minha inspiração”,
Respondeu um poeta, presente na festa.

Só ai todos entenderam que,
A menina que roubou a cena naquele dia
Era simplesmente a própria poesia
.



 


Carlos Lucchesi







Voltar