Sementes de Amor

          Certa vez, um viajante solitário iniciou uma viagem por caminhos desconhecidos. Levava consigo a alegria de viver, um punhado de sementes no bolso e uma idéia fixa na cabeça. Seu único companheiro era o mesmo que o conduzia: veloz, audaz e não respeitava fronteiras. 

          Assim iniciou sua jornada, deixando cair uma semente por onde quer que andasse. Não importava o terreno; se fértil ou arenoso. Não importava a estação; se inverno, primavera, outono ou verão; deixava cair ali àquela semente.

          Muitos anos se passaram até que retornasse pelo mesmo caminho. Qual foi a sua surpresa ao vê-lo margeado por lindas árvores. Algumas imensas, outras ainda em crescimento, e mesmo onde alguma semente não havia germinado, as árvores crescidas teimavam em lançar suas próprias sementes sobre aquele solo. 

          O nosso viajante voltou para casa com sua missão cumprida.

          Iniciamos a nossa viagem a cada dia em que galopamos nessa nossa máquina que chamamos de computador. 

          Tenha consigo a mesma alegria de viver do nosso personagem; carregue no seu bolso Sementes de Amor e a deixa cair por onde quer que você ande.

          Tenha uma certeza na cabeça: 

          A Semente do Amor não tem hora, nem estação certa para ser plantada; floresce em qualquer estação, pois é lançada ao chão com a mão do coração.

          Esta é a minha mensagem. Inicie já a sua vigem... 

 

                               



Carlos Lucchesi






Voltar