Sua Última Opção


Daqui de onde estou,

Tem mais cor no azul do céu,

As árvores das montanhas dançam na incontida alegria

Do nascer de um novo dia.

 

Aqui onde estou,

As meninas debruçam sobre as janelas tardes seguidas,

Na esperança da espera do grande amor de suas vidas.

 

Daqui de onde estou,

Pássaros de todas as cores ignoram a minha presença

E circulam ao redor num constante vai e vem,

Como se eu fosse um deles também.

 

Aqui onde estou,

A chuva que chega da montanha me toca suavemente em gotas minúsculas,

Como se, do poeta, fosse a própria musa.

 

Daqui de onde estou,

As noites são mais estreladas,

E quase posso alcançar a imensa lua,

Na sua inebriante cor de prata.

 

Aqui onde estou,

Toco com as mãos as águas transparentes dos rios,

E me aqueço no fogão à lenha,

Nas noites de intenso frio.

 

Daqui de onde estou,

As estradas são de chão,

E trilhas no meio das matas;

Os moços tocam viola,

E passam noites seguidas em serenatas.

 

Aqui onde estou,

É o meu lugar,

De onde eu nunca deveria ter saído pra trazer você comigo.

 

Daqui de onde estou,

Percebo que foi em vão.

Busquei os seus caminhos,

E encontrei dos meus, a contramão.

 

Mesmo aqui onde estou,

Não é possível renascer,

Pra poder tentar novamente

Dividir todo esse meu mundo com você.

Daqui de onde estou,

Não sou mais a sua última opção;

Daqueles que você teve,

Na palma da sua mão.

 

Aqui onde estou,

Chegará o dia em que não mais estarei,

E apenas parte de tudo,

Simplesmente e eternamente, serei...

 



Carlos Lucchesi






Voltar