Carlos Lucchesi


... - "Acabou!'
    - Sinto muito.
    - "Sente nada". Foi o que ela me respondeu.

Estas foram às palavras daquele nosso último adeus...

Amor de verdade jamais acaba, ou fica esquecido.
Passa de realidade pra história de vida.

Quem nunca o conheceu,
Apenas sobreviveu.
Quase como se tivesse morrido,
Antes mesmo de ter nascido.

É como o ar que se respira:
É tão seu, que existe e sobrevive sem que dele seja preciso lembrar.

É parte vital.
E mesmo quando inerte no corpo,
Como os olhos em sono profundo;
No dia seguinte,
Aos primeiros raios do sol,
Se abre pro mundo.

É a experiência mais completa,
E o maior dos desafios.

É tão inspirador,
De fazer o Poeta escrever com sentimento profundo;
E quem não é Poeta,
Escrever como se fosse.

Quem teve muitos "casos de amor",
Certamente se divertiu bastante na vida,
Mas esqueceu que muito não é raro;
É coisa fácil de ser conseguida.

Nunca quis o "lugar comum";
Quero menos ser "mais um",
Prefiro o "muro" dos diferentes;
De onde tudo se avista,
Do que pisar em lado,
Só porque todo mundo pisa.

Ela me procurou no meio de muitos,
Achando que eu estava em algum dos lados,
Talvez por eu estar aqui no "muro",
Nunca tenha me encontrado.

Mesmo depois de tanto tempo,
Jamais conseguimos nos entender direito.
Ela nunca permitiu que eu fosse muito além do coração,
Daquele cordão,
Que carregava sobre o peito...

Voltar





                                                          Um coração por sobre o peito